thiagocosta.py

Programming, Management etc


  • liderança , starbucks

Liderança: crise x vulnerabilidade (e o caso da Starbucks)

Tenho conversado bastante com amigos e profissionais da área sobre liderança, e os problemas comuns que as pessoas normalmente enfrentam, principalmente quando estão começando. Isso me fez
relembrar um pouco da minha história e resolvi fazer um post breve sobre o assunto e quem sabe ajudar alguém.

Obama chora ao agradecer sua equipe após ser reeleito

Minha transição para um cargo de gestão não foi nada fácil. Eu era inexperiente, como a maioria das pessoas que recebe um desafio como esse e, claro, cometi alguns erros. Pensei até em desistir
na época, pra falar a verdade, porque achava que ser chefe não tinha nada a ver com a minha personalidade, mas como pra todo problema existe uma solução e há males que vêm para o bem, eu
posso dizer que dei a volta por cima.

Foi num momento de vulnerabilidade como esse que tomei uma atitude que mudaria de vez a minha história como profissional e pessoa. Foi a partir daí que compreendi melhor a diferença entre ser
líder e chefe. Também foi a partir daí que defini o meu estilo de liderança e passei a imprimir mais a minha personalidade no meu trabalho, sem medo, o que consequentemente me fez ter mais
prazer no que eu fazia.

Um líder vulnerável?

Em uma entrevista dada em 2013, Howard Schultz, CEO da Starbucks, disse o seguinte ao debater sobre a importância de ter uma certa vulnerabilidade como líder:

"Eu acho que a moeda da liderança é a transparência. Você tem de ser verdadeiro. Eu não acho que você deve ser vulnerável sempre, mas há momentos em que você tem de compartilhar a sua alma e consciência com as pessoas e mostrar-lhes quem você é.”

Pra quem não sabe, na época, Schultz teve que lidar com uma situação nada favorável: mais de 600 lojas da Starbucks fecharam suas portas, fazendo aproximadamente 12.000 trabalhadores perderem seus empregos.

Foi nesse momento turbulento que ele revela que cometeu o que muitos consideram uma grande gafe:

"Quando me levantei na frente das pessoas e pedi desculpas, eu comecei a chorar"

Mas o que quero dizer com isso tudo?

Quero dizer que um momento de crise, aliado a uma dose certa de vulnerabilidade, pode ser o início de um grande recomeço, como aconteceu com Howard Schultz que conseguiu dar a volta por cima,
aumentando o faturamento da Starbucks em 30%, abrindo novas oportunidades de emprego e quase quadruplicando o valor da empresa. Enfim, tudo isso após a crise.

Ou seja, nunca é tarde pra recomeçar. Um baita cliché, eu sei, mas é verdade.

Portanto, se você está passando por alguma dificuldade na sua equipe, pare agora e recomece! Aproveite esse momento de vulnerabilidade e chame todos pra bater um papo franco. Assuma
seus erros e fraquezas. Seja transparente e revele suas maiores dificuldades e prometa que irá trabalhar pra reverter a situação.

Você pode ter a sorte de encontrar pessoas de bom coração que irão te dar essa chance; portanto, é importante não decepcioná-las.

Pra ajudar nisso, eu pontuei abaixo, com base na minha experiência, algumas características que acho importante você tentar desenvolver:

  • Baseie sua liderança em caráter e valores humanos. Muitas vezes é preciso ultrapassar as formalidades e seguir mais o coração;
  • Seja presente. A forma mais eficiente de iniciar um processo de criação de uma cultura baseada em confiança é estar por perto fisicamente. Acredite, sentar junto no mesmo ambiente, usar até a mesma cadeira e mesa que todo o grupo, faz toda a diferença sim. Essa talvez seja a dica mais importante, pois construir um ambiente de confiança é a base de tudo;
  • Seja útil. Mostre que você está disponível pra botar a mão na massa se for preciso;
  • Seja tolerante. Antes de tomar alguma atitude, se coloque no lugar da pessoa. Com certeza você irá diminuir ss chances de ser injusto;
  • Seja discreto. Não corrija em público. Também tenha cuidado ao fazer elogios na frente de todos. É difícil observar com proximidade suficiente as ações de cada integrante de sua equipe; você pode acabar sendo injusto. Sem falar, que tem pessoas que ficam igualmente constrangidas com elogios em público;
  • Tenha personalidade. Não ceda às pressões e não se deixe influenciar por nada. A inexperiência muitas vezes pode te fazer colar em pessoas que nem sempre irão te dar bons conselhos porque cada situação é diferente. Você tem que ter muito cuidado com isso! Siga mais os seus instintos, os seus valores (veja o primeiro item) e não concorde em fazer algo que você sente que não é o correto.
Seja o líder que você sempre quis ter!

Por último, mas não menos importante, saiba que essa área de gestão de pessoas realmente não é fácil e certamente você nunca se achará bom e capacitado o bastante pra isso. Aliás, é até bom
mesmo que você nunca ache que está pronto pois sempre existirá uma pessoa diferente que irá te surpreender ou uma empresa com uma cultura diferente da que você está acostumado, ou seja, não dá pra seguir uma fórmula. E é exatamente por isso que você ainda continuará cometendo erros, mesmo tomando certos cuidados. Não tem jeito, você é um ser-humano como qualquer outro e não está livre disso. O importante é guardar bem esses valores e princípios e você certamente conseguirá se adaptar a qualquer situação.

Espero ter ajudado de alguma forma! Agora vou ali continuar aprendendo :)

Referências:

http://www.forbes.com/profile/howard-schultz/

http://www.oprah.com/own-super-soul-sunday/Starbucks-CEO-Howard-Schultz-Says-Leaders-Should-Be-Vulnerable-Video

Thiago Costa

Desenvolvedor apaixonado orientado à melhoria contínua (kaizen), agente de mudanças e praticante de métodos ágeis, morando no Rio de Janeiro.

comments powered by Disqus